Microlocalização: este conceito pode mudar a forma como você interage com o mundo.

Sem Título-1

 

A Microlocalização tem se tornado, nos últimos anos, cada vez mais presente em aplicações industriais e comerciais ao redor do globo, sobretudo em países desenvolvidos. Com a tecnologia mobile encarnada na vida das pessoas através dos smartphones, o que se percebe é que este conceito pode (e vai) estar presente em seu cotidiano em um futuro bem próximo.

Shoppings, supermercados, hospitais, aeroportos, e até o prédio onde você trabalha. A busca por soluções que visam localizar pessoas e objetos dentro de ambientes internos se mostrou um grande desafio para os Sistemas de Navegação Global via Satélite (do inglês, GNSS), na medida em que atingir alta precisão de posicionamento em locais internos é tarefa não trivial devido à complexidade que tais ambientes possuem.

A Microlocalização é, neste sentido, o processo de localização e navegação de qualquer entidade (pessoas e objetos) em ambientes internos. Assim como o GPS, os sistemas de Microlocalização (comumente denominados IPS, Indoor Positioning Systems), podem detectar a direção na qual um dispositivo está se movendo e prever a rota de um usuário baseado em sua direção.

O esforço em se desenvolver tecnologias capazes de calcular o posicionamento e roteamento indoor via smartphones gera uma infinita gama de aplicações, que dependem exclusivamente da criatividade de seus desenvolvedores. Achar o caminho para a plataforma de embarque em um grande aeroporto internacional, encontrar o fast-food mais próximo em um Shopping, estudar o comportamento de compra de clientes em um supermercado, monitorar a movimentação de trabalhadores remotos em uma indústria. Felizmente todos estes cenários já estão presentes na vida de muitas pessoas e corporações, e o desenvolvimento de novas tecnologias para Microlocalização apontam para um crescimento cada vez maior de sua utilização.

As soluções para IPS são normalmente baseadas em informações provenientes de múltiplas fontes, como acelerômetros, giroscópios, magnetômetros, WiFi e Bluetooth. Este método de integração de dados, embora preciso, apresenta alto custo computacional, o que reflete em um grande consumo de bateria nos dispositivos móveis, fator crucial para o sucesso de qualquer aplicação. Outros tipos de métodos são igualmente utilizados, como o WiFi Fingerprinting, que faz uso de uma estrutura de rede wireless já existente para construir um rádio mapa baseado nos níveis do sinal de WiFi. A principal limitação desta técnica é o tempo e o processamento gastos na construção destes mapas. Dentre uma grande variedade de tecnologias à disposição, o foco deste post é no uso dos Beacons BLE como solução para Microlocalização.

Beacon é um termo generalista utilizado para descrever qualquer dispositivo que transmite algum tipo de sinal que possa ser recebido por outro dispositivo próximo, como smartphones. BLE (Bluetooth Low Energy), por sua vez, é uma tecnologia de rede sem fio de área pessoal usada para transmissão de dados em pequenas distâncias. Como o nome sugere, esta tecnologia foi projetada para aplicações de baixo consumo de energia e baixo custo, mantendo, contudo, a faixa de comunicação/alcance similar ao Bluetooth convencional.
Combinando as duas tecnologias, temos os Beacons BLE, que são dispositivos que transmitem pequenos pacotes de dados via BLE com alcance de até 50 metros aproximadamente, contendo informações relevantes para Microlocalização, embora também possam ser usados em ambientes externos. Os Beacons BLE podem ser encontrados na forma de pequenos dispositivos plugados em portas USB, afixados em paredes e prateleiras utilizando pequenas baterias internas, em smartphones, tablets, PCs, etc.
O protocolo desenvolvido pela Apple para Beacons BLE, o iBeacon, utiliza o padrão de pacote de dados que contém quatro informações essenciais: o UUID (Universal Unique ID), Major, Minor, e Tx Power. Os três primeiros dados são usados para identificação de cada Beacon, e o Tx Power contém a informação da distância entre o Beacon e o dispositivo receptor, através da medição da potência do sinal transmitido.
Na plataforma Android, uma biblioteca muito utilizada para detecção de Beacons é a Android Beacon Library, que provê APIs com as mais diversas funcionalidades para interação com os Beacons. Um exemplo de utilização da biblioteca é a chamada do método didRangeBeaconsInRegion a cada segundo para monitoramento dos Beacons toda vez que estes são detectados. Note que com a API fica fácil saber a distância que cada Beacon está em relação ao receptor pelo método getDistance.

IMAGEM POST

Embora pareça uma tecnologia simples, os Beacons BLE podem ser usados para diversos tipos de aplicações residenciais, comerciais, e industriais. Daremos aqui um exemplo de aplicação para Microlocalização.
Em um grande ambiente industrial, a localização das pessoas, tanto em ambientes internos quanto externos, é essencial em termos de monitoramento, segurança, ações em situações de emergência, controle de fluxo, e controle de acesso. Os Beacons BLE, se instalados em locais estratégicos dentro da indústria, podem prover todas as funcionalidades acima descritas ao fazer uso da Microlocalização dentro do ambiente fabril. A ideia principal é associar cada Beacon com alguma região específica da fábrica. Tendo essa tabela de associação entre os IDs do Beacons e sua localização conhecida à priori, consegue-se facilmente determinar a posição de qualquer trabalhador que possua um aplicativo em seu smartphone capaz de receber os pacotes de dados que os Beacons continuamente enviam em seu campo de alcance. Dessa forma, ao se integrar todos os dados recebidos por cada smartphone em um servidor, a possibilidade de monitoramento remoto pode ser facilmente implementada, inclusive com a utilização de telas atualizadas em tempo real contendo a planta da fabrica e a localização de cada funcionário, além de um histórico completo contendo o fluxo de trabalhadores a cada hora para cada setor da indústria. A imagem abaixo ilustra este cenário.

image002

image003

As aplicações da Microlocalização, como descrito ao longo deste artigo, são vastas e influenciam diretamente indústrias, comércios, e pessoas. Com o passar do tempo, este conceito estará tão impregnado no cotidiano da população, que a existência de um artigo como este será algo obsoleto devido à onipresença da tecnologia nos mais variados ambientes internos, sobretudo com a utilização de Beacons BLE, que se impõem como uma solução para IPS bem consolidada, elegante e funcional.

Por:Johnathan M Melo Neto
Revisão: Dandara Chaves

Deixe um comentário

2 comments

  1. Anônimo

    Muito interessante!
    Seria mais interessante ainda se existisse Beacons BLE’s com alcances maiores que 50metros !

    -1
  2. Anônimo

    Inlocomedia é a primeira empresa a ignorar todos esses constrangimentos que você mencionou no artigo, além disso, usamos impressão digital magnética para refinar a precisão nos meios para atingir 1 metro, além disso, outros métodos são LTE e localização base da rede em áreas onde outros sinais podem ser fraco .

    -1