Inovações em TI: Como o CIO pode preparar a empresa

A globalização, a  diluição  das  fronteiras  comerciais,  a  velocidade  da  informação  e  a  tecnologia  fizeram  do  mundo  corporativo  um  ambiente  extremamente  instável.  O  excesso  de  informações  circulando  em  tempo  real  por  todos  os  pontos  do  globo  modificam  com  mais  celeridade  o comportamento  humano,  gerando  uma  sucessão  de  tendências  que  precisam  ser  acompanhadas pelo mercado.

No mundo de hoje, portanto, as empresas  que  desejam  ter  vida  longa  em  seu  setor  devem  ser suficientemente flexíveis, prontas para mudar toda sua dinâmica (e, às vezes, até seus objetivos) em tempo  recorde,  algo  que  passa,  necessariamente,  por  transformações  na  infraestrutura  de  TI  da organização.

Mas como um CIO deve implementá-­las sem causar grandes traumas na companhia?

“Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças.”

A frase é do professor e pesquisador norte-americano Leon Megginson, mas cabe perfeitamente no tema que estamos tratando. Isso porque o grande problema da espiral de adaptação corporativa é que o ser humano costuma ser resistente à mudança. No ambiente de trabalho, qualquer alteração de rotina gera insegurança e sensação de ameaça aos profissionais.  Desconforto com a possibilidade de perder status,  perder  salário,  ser  demitido,  ter  de  aprender  novas  tarefas,  tudo emerge dos corações inseguros diante de um cenário desconhecido.

Às vezes, até o próprio  CEO  hesita  em  permitir  mudanças  significativas  vindas  do  setor  de TI. A questão central é que a concorrência está também em um processo de constante transformação e se sua empresa não buscar auxílio de novos recursos de TI, certamente será engolida pela dinâmica do mercado. Diante disso, vale a pena prestar atenção em alguns detalhes:

 

1­  Comunique  à  empresa  o  porquê  das  inovações em TI

Gastar rios de dinheiro com infraestrutura já não faz mais sentido, à medida que seus rivais obtêm acesso a recursos mais modernos pagando por serviço (SaaS, IaaS, PaaS, etc.). Mas não adianta só o CIO compreender essa necessidade. É preciso comunicá­la a todo seu staff, bem como a outros setores da empresa, que serão afetados pelas inovações em TI.

2­  Permita  que  os  colaboradores  da  empresa  (de diversos departamentos) participem do processo de construção da mudança

Serão adotados em sua empresa os serviços de nuvem híbrida, privada ou pública? Qual o nível de virtualização  que  deverá  ser  implementado?  Em  caso  de  implantação  do BYOD  (Bring Your  Own  Device),  como  conciliar  segurança no tráfego de dados e privacidade? Todas essas questões não podem  ser  empurradas  “garganta  abaixo”  dos  funcionários,  sob  pena  de  gerar  uma  verdadeira rebelião  na  empresa.  Lembre­se  de  que  as  pessoas  tendem  a  ser  mais  colaborativas  quando  se sentem “parte do projeto”. Muito mais do que quando  são forçadas a adotar determinada postura. Não implemente nenhuma mudança radical sem dar voz aos seus stakeholders.

3­  Desenvolva  indicadores  que  comprovem  as  diferenças entre o “antes” e o “depois”

Para ter certeza de que o doente não está mais febril, precisamos de um termômetro,  certo?  Da mesma forma, para ter certeza de que as inovações de TI realmente agregaram valor à organização (e são responsáveis, de forma indireta, por melhora nos resultados financeiros da empresa), é preciso ter indicadores sólidos. Percentual de redução de custos com TI, comparações de KPI, nível de serviço, percentual de serviços críticos com SLA, índice de disponibilidade de sistemas, etc.: estes são apenas alguns exemplos de indicadores que  devem ser usados como  referencial.

4­  Ofereça  treinamento  adequado  antes  de  lançar sua equipe aos leões

A penúltima, mas não menos importante recomendação, é treinar toda a empresa antes de lançá­la para realizar suas tarefas em novos ambientes ou sistemas.  Ter as mesmas metas, a mesma pressão, mas tendo ao seu lado ferramentas que se desconhece, só vai contribuir para estressar os colaboradores e criar um sentimento de rejeição em relação às inovações de TI.  Primeiro as simulações, depois o uso prático.

5­ Faça parcerias com experts em projetos ágeis

Traga novos recursos, novos paradigmas computacionais e referências de governança de TI em sua empresa: mas faça com sensatez e, de preferência, com o auxílio de empresas que trabalhem com a metodologia ágil de projetos (que pode, portanto, ser implementada antes de sua conclusão integral, evitando prejuízos às operações da empresa).

Parafraseando John Kennedy: “a mudança é a lei da vida. E  aqueles  que  apenas  olham  para  o passado  ou  para  o  presente  irão  com  certeza  perder  o  futuro”.  Você está preparando para encaminhar sua empresa ao futuro? Caso tenha alguma dúvida sobre como levar as inovações em TI à sua organização, não deixe de nos escrever!

 

Revisão: Dandara Chaves

Deixe um comentário