DesignOps: Preenchendo o GAP entre designers e desenvolvedores

designOps

O DesignOps é uma proposta metodológica desenvolvida pelo AirBnb e baseada em conceitos e práticas já conhecidos do DevOps. Surgiu da necessidade de promover a colaboração entre designers, desenvolvedores e outros. Com a missão de proporcionar agilidade a toda a organização através de ferramentas, sistemas e serviços centralizados que melhoram a velocidade e a qualidade da execução.

Ao considerar o que é preciso para escalar e executar um trabalho de design de alto desempenho que precisa manter o ritmo em uma empresa de crescimento hiperativo, essa abordagem faz muito sentido.

“You don’t want to have a waterfall process where all the design happens and then you throw it over the wall to the developer who doesn’t understand the intent behind the product. You want to build it together.” Drew Bourne

As empresas não podem confiar no talento bruto e nas relações íntimas que permitem que seus colaboradores compartilhem informações importantes em grupos menores. Pois com o crescimento dessas equipes, todo o processo chega a um ponto de inflexão onde as coisas de repente se tornaram mais difíceis.

 

O crescimento das equipes de design.

O crescimento das equipes de design.

O modelo onde tínhamos UX Designer, UI Designer e Front End Developer passou a contemplar novos profissíonais que pro mercado pareciam mais versáteis, como o UX/UI Designer, profissional híbrido que pretendia sanar o gap entre UX e UI, o UI Developer, um profissional com características de designer mas que possui aptidão para o desenvolvimento e componetização de elementos da interface.

Unknown
 
 
As equipes/pessoas nem sempre conseguem estar por perto e novas pessoas trazem novas formas de fazer as coisas. A estrutura solta que permite as empresas manterem o ritmo torna-se não estável à medida que elas crescem e surgem novos desafios. O acesso a informações, padrões de projeto, colisões de fluxo de trabalho e problemas de qualidade tornaram-se problemas muito reais.  Os métodos de design populares ainda ocorrem antes e se separam do desenvolvimento. O design é visto como um impedimento ao contrário de um passo valioso no processo de aprendizagem para desenvolvedores e gerentes de produto.

À medida que a arena do designer cresce para incluir qualquer equipe que afete a experiência do usuário em qualquer plataforma, novas disciplinas foram adicionadas e novas equipes foram criadas. Qualquer equipe focada operacionalmente que não estava diretamente alinhada com um recurso de produto era um bom candidato para o DesignOps porque seus objetivos podem apoiar a missão de amplificar e capacitar as equipes de produtos multifuncionais.

“Here’s the simple truth: you can’t innovate on products without first innovating the way you build them.” Alex Schleifer

Bitmap

 

Surge então a necessidade de repensar a forma como as coisas são feitas, e foi assim que surgiu a equipe DesignOps, com a missão de colocar em prática abordagens que integrem designers, desenvolvedores, e demais profissionais que estejam ligados a experiência do usuário. Sua frente de atuação é bastante dinâmica e sempre aberta a inclusão de novos nichos de atuação, sendo mais comum o:

– Gerenciamento de processo – Responsável por desenvolver e conduzir uma estratégia operacional estruturada.

– Ferramentas de design – Construir ferramentas para capacitar e amplificar o potencial do designer.

– Gerenciamento da produção – Responsável por construir e conduzir estratégias que assegurem a qualidade da produção.

-Coordenação da equipe – Manter as equipes integradas e saudáveis, colocando em práticas as estratégias planejadas.

O DesignOps ainda é uma metodologia relativamente muito nova e ainda em desenvolvimento, que embora tenha muito o que ser planejado, já tem mostrado bons resultados em grandes equipes como as do AirBNB e Capital One.

Questionamentos para futuras reflexões

  • Como socializar, conscientizar e definir a interação com essa nova equipe?
  • Ensinar e adotar novos processos é difícil, mas muitas vezes é a chave. Como colocar isso em prática?
  • Como será medido o sucesso da iniciativa?

Deixe um comentário